top of page

O Brilho das Estrelas

Atualizado: há 3 dias

O Universo transforma forças em movimentos, e movimentos em forças. Ou se você preferir, energia. Ele não perdoa nada que esteja parado. De alguma forma, qualquer corpo que não se movimenta receberá um "empurrão" para entrar em movimento útil, ou para ser expulso do ambiente onde esse corpo não coopera com o sistema. Seja de uma órbita, de uma galáxia, ou para dentro de um buraco negro. E quando entrar em outro sistema, novo empurrão será dado até que esse corpo encontre o sistema que ele seja útil. Essas forças do Universo são administradas pelas lei da inovação, expansão, crescimento e a entropia.


Dessas palavras, talvez você imagine que a entropia esteja fora de contexto. Só que o universo segue ordens desordenadas. O caos produz novos padrões (por exemplo, galáxias) e proporciona o empurrão para a inovação, a expansão, o crescimento e nova entropia (morte de uma estrela ou buraco negro), e assim por diante.

Mas, afinal, o que faz a entropia nesse enredo? Um ovo quebrado jamais será um ovo inteiro. Porém, um ovo quebrado poderá ser parte da matéria prima de um bolo, ou o resultado de um acidente de um pacote furado. E mesmo um ovo esquecido em um ambiente não adequado, logo ele será um ovo podre, e jamais será possível reverter em um ovo fresco. Tudo precisa seguir o seu curso natural. Até mesmo um ovo podre pode ser, por exemplo, convertido em adubo para uma planta. Tudo é cooperação. Até mesmo na desordem das coisas.

Vou dar um exemplo mais concreto. Uma história verídica: Vou chamar essa história de "A entropia da água de Coco". Uma menina, que vivia em um lugar isolado da Bahia, filha de um caseiro, estudava através de um notebook lento e antigo, que logo, em um determinado momento, deixou de funcionar. Então, o pai, sem dinheiro para arrumar o computador para os estudos online da filha, já sem conserto por ser muito antigo, e sem recursos para comprar um novo, passou a compartilhar o seu celular de trabalho, de fabricação mais recente, porém, bem judiado pela labuta, com sua tela toda "craquelada". Então, o pai determinou uma rotina onde, analisando a rotina do seu patrão, notou que em determinados horários do dia o patrão não tinha o hábito de chamar e requerer os seus serviços. Descobriu que um determinado período do dia o celular poderia ficar com a filha, sem problemas, que usaria para os seus estudos. Mesmo com as condições atuais degradadas, de um computador velho e lento para um celular que nem dava para ler direito as mensagens, os estudos online da filha tinha que continuar, seguir em frente, avançando e progredindo para proporcionar um futuro melhor para ela.

Eis que entra em cena a "entropia". Na mesma semana o patrão resolve tomar uma água de coco, a mais do que de habitual, e justamente em horário fora do padrão. Mandou mensagem para o caseiro que não respondeu. Somente veio a resposta cinco horas depois, com a seguinte pergunta: "Doutor, o senhor ainda quer a água de coco?" O patrão, indignado com a falta de atenção do caseio, logo quis saber da ausência do funcionário durante aquele horário e pediu que ele viesse imediatamente falar com ele, principalmente para entender o que estava acontecendo. O caseiro, ao explicar o motivo de sua ausência, e mostrando o estado da tela do seu celular, o patrão, comovido o com esforço do pai, em prover educação para a filha, não teve dúvidas, retirou da embalagem um equipamento novíssimo, de última geração, recém chegado dos Estados Unidos, e emprestou para que a filha do caseiro tivesse um excelente recurso para continuar estudando. Equipamento tão bom que qualquer um, inclusive eu, ficaria com uma ponta de inveja.


Essa história mostra que, se no momento da quebra do computador, alternativas não fossem buscadas para continuar no rumo dos estudos, na solução para manter a trajetória, mesmo com meios degradados, a entropia do Universo não entraria em cena, não provocaria uma "sede extra" no patrão fora de hora, e a recompensa para a inovação, não teria agido no sentido de melhorar o que piorou e quebrar a nova ordem com a desordem das coisas. Sorte? Talvez. Sorte é estar no lugar certo, na hora certa e bem preparado. Sorte, então, foi ser o caseiro de Fábio Coelho, presidente do Google Brasil. Que estava no lugar certo, na hora certa e bem preparado por ter um equipamento reserva, que ele (Fábio) planejava ligar e usar em outra oportunidade, mas que, diante de uma necessidade prática, e extremamente útil, promoveu uma desordem com uma grande inovação.

Se isso não justifica o entropia do Universo, então vamos voltar aproximadamente uns 130 anos em nossa história, para encontrar mais uma prova de que o Universo é movimento. Agora, a nossa história, também verídica, é de um menino franzino, de 5 anos, filho de um caseiro, que ao ver o filho do patrão se afogando na piscina da mansão, não teve dúvidas. Pulou na água e retirou o garoto muito maior, muito mais forte e pesado. Naquele momento não analisou os seus próprios limites físicos. Nem cogitou em não ser capaz de concluir o salvamento. O patrão, agradecido com o ato heroico do menino, chamou o pai, o caseiro, e lhe perguntou qual seria o maior desejo dele para proporcionar o melhor futuro ao filho. O pai não teve dúvidas em dizer-lhe que gostaria que o filho tivesse acesso a bons estudos. Então, eis a recompensa. O filho do caseiro foi estudar medicina. O filho do patrão estudou e tornou-se um grande estadista, reconhecido mundialmente. Já o garoto herói se tornou, além de médico, um cientista dedicado, mas que, por acidente, descobriu um poderoso antibiótico: a penicilina. O menino de cinco anos, que salvou a vida de Winston Churchill, e mais tarde, o cientista que voltou a salvar a vida de Churchill, já ocupando o cargo de Primeiro Ministro da Inglaterra, quando acometido por uma grave pneumonia, salvando-lhe a vida pela segunda vez a vida, foi nada mais e nada menos que o doutor Alexander Fleming, cuja contribuição para a humanidade foi tanta que, sem medo de errar em cálculos, posso afirmar que a descoberta de Fleming, quase que acidental, foi responsável por salvar a vida de, pelo menos, um terço da humanidade. A tal ponto que me permite dizer que, provavelmente, pelos meus cálculos, nem eu e nem você, que está me dando a honra de ler essa minha narrativa, não estaríamos aqui vivos. Não teríamos sequer vindos ao mundo.

Não quero lhe convencer que a melhor profissão do mundo é ser caseiro. Se essa foi a sua conclusão, dei foco errado na narrativa. Observe que quem desfrutou dos benefícios foram os filhos. A evolução foi proporcionada pelos estudos. E o resultado foi a inovação. O apoio da família é fundamental nos primeiros passos.


Depois, enquanto os planetas giram em torno do Sol. Todo o conjunto continua avançando pelo Universo. Um dia, em um futuro distante, nossa galáxia (Via Láctea) entrará em choque com outra galáxia, "Andrômeda". E do caos e da desordem criará novas "estrelas" de oportunidades.

Se você não acredita em entropia do Universo, então, leia sobre as sondas Voyager 1 e 2. Lançadas pela NASA para cumprir missões de cinco anos de duração, para estudar os planetas Júpiter e Saturno, que pela força da entropia, continuaram a sua missão desde 5 de setembro de 1977 até hoje e até o futuro. Levando uma prova de que em algum lugar, em um planeta azul, existe vida inteligente. Pelo menos a minha e a sua tenho certeza. E tudo porque esqueceram de programar limites. Então, sem limites a missão continua.

Concluindo: o que eu quero dizer é simples. Resolva o que deseja fazer. Não demore. Faça já. Empreenda. Comece agora e não olhe para as coisas limitantes como barreiras. Elas são obstáculos que deverão ser eliminados ou ultrapassados. Barreiras consomem força, e nos dão mais força ainda. Estude e não se preocupe com as diversidades. Quanto mais difícil for a luta, mais vitoriosa e comemorada será a conquista.

Se esse texto não der energia extra em suas baterias. Levante. Tome um café (ou um energético) e mova-se no sentido do seu progresso. A ajuda virá. O Universo não aceita rotina e ordem que não esteja direcionada e alinhada com a força útil. O Universo quer sempre movimento em busca da inovação, da expansão, do crescimento, e fará uso de todos os recursos que é fornecido pela entropia! Seja para o seu sucesso ou para a sua rápida eliminação. Você pode ser estrela ou pó. Agora ou no futuro!

Estudar, adquirir conhecimentos e habilidades, no meio do caos e da diversidade, crescer e emitir brilho! É o que faz o Sol e os grandes Astros. Emita o brilho da sua estrela!


 

Sobre o autor:

Prof. Paulo Rodrigues é pós-graduado em Docência no Ensino Superior e em Gestão e tutoria de EaD. Graduado em Ciência Aeronáuticas, além de outros cursos. É autor de livros. Coordenador do Núcleo de Educação a Distância da Santa Catarina Cursos Online - www.etcead.com

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page